A essa altura do campeonato não é surpresa para ninguém que é necessário firmar residência em alguma Comune da Itália para realizar o processo de cidadania em solo italiano. (Fui redundante no parágrafo acima para frisar a obrigatoriedade de ser residente na Itália – conforme Legge 91/92 e Circular K28.

Dica: Relaxa e curta o processo, pois a Itália é linda, tem uma culinária única e os italianos, ao contrário do que muitos pensão, são ótimas pessoas.

Solicitar residência no “ufficio anagrafe” do Comune corresponde a ser inscrito na lista da população residente.

Portanto, ao receber os documentos referentes ao pedido de residência o funcionário inserirá os dados do requerente no sistema e informará que um vigile urbano irá ao endereço informado para verificar as condições do imóvel e certificar a veracidade da residência pleiteada.

A espera pela passagem do vigile urbano:

Quando ainda estava no Brasil escutava as pessoas falarem deste momento com medo, temor e ansiedade…

Minha experiência é: “niente paura”, pois ao efetivar meu pedido de inscrição no Comune Anagrafe o formulário de requisição continha campo de preenchimento dos horários que o vigile provavelmente me encontraria em casa. (Coerente, não?)

Claro que eu marquei todos os horários!

Creio que o vigile percebeu meu desespero e no dia seguinte veio tomar um chá comigo. “È uno scherzo”, rs…

A passagem do Vigile objetiva verificar as condições de moradia do local, segundo legislação específica italiana.

Obs. Vir para a Itália tem que ser um plano de vida, pois mudar de país não é brincadeira e aqui não existe o famoso “jeitinho Brasileiro”. Então prepare-se, pelo amor de Deus!

Eu me preparei por 1 ano para estar aqui e, ainda assim, encontrei adversidades, pois, apesar do choque cultural não ser tão grande, a Itália e os italianos são peculiares.

Vale a pena assistir esse vídeo e entender que mudar é um processo: você deve fazê-lo de forma consciênte.

Publicado por PRI

Meu jeitinho modesto, mas nada despretensioso, não me permite afastar do conhecimento... sempre disposta a aprender, mas não prender "o conhecido"... deixar ir, disseminar, repassar, dividir... Experiencias frutíferas ou IPÊS, tudo de um jeitinho único e simples, visando transformar os "tornados" da vida (desastres naturais ou não tão naturais) em leves brisas que acariciarão a predisposição a aprender!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: